"Água: Conhecimento para Gestão" é o projeto de maior envergadura no Brasil no que tange a capacitação, educação e mobilização social em recursos hídricos. Oferece 30 mil vagas em 33 cursos de capacitação gratuitos em 3 modalidades: Educação a Distância - EaD, Semipresencial e autoinstrucional. Os cursos são ministrados em português e espanhol, a fim de capacitar pessoas para a gestão dos recursos hídricos no Brasil e nos demais países da América Latina.

Até maio de 2015 já foram capacitadas mais de 11 mil pessoas no Brasil e demais países da América Latina e desenvolvidas mais de um milhão e seiscentas mil ações de comunicação, 6 vezes mais do que se havia planejado na concepção do Projeto. 

 

A - Informações gerais

 

INÍCIO: 08/2011 (em andamento)

ENTIDADES EXECUTORAS: Fundação Parque Tecnológico Itaipu - FPTI; Agência Nacional de Águas - ANA

APRESENTADO POREloiza Dal Pozzo Chibiaqui 

RECURSOS: Próprios

FAIXA DE VALOR: Acima de U$25.000,00 

CATEGORIA: Projeto

ÁREA TEMÁTICA PRINCIPAL: Meio ambiente

PALAVRAS-CHAVE: Recursos Hídricos; Água; Capacitação; Educação a Distância; Comitês de Bacia Hidrográfica; Agentes Gestores da Água; Sociedade Civil.

PÚBLICO-ALVO: Integrantes de comitês de bacias hidrográficas, instituições que fazem parte do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos- SINGREH, agentes gestores, público jovem e demais pessoas atuantes em esferas relacionadas à temática água.

LOCALIZAÇÃO: Área urbana

ABRANGÊNCIA GEOGRÁFICA: Internacional

ÁREA ESPECÍFICA DE IMPLANTAÇÃO: Parque Tecnológico Itaipu

 

B - Descrição da prática

 

1- ANTECEDENTES

A crescente necessidade do aprimoramento na gestão dos recursos hídricos levou a implantação da prática. A demanda de capacitação, desde a criação da Política Nacional de Recursos Hídricos, em 1997, tem crescido significativamente frente aos problemas de escassez de água e a necessidade de capacitação dos profissionais que atuam com a gestão de recursos hídricos e população jovem. Antes da implementação do projeto, a Agência Nacional de Águas - ANA ofertava alguns cursos de capacitação em pequena e média escala. A partir de visitas da ANA à ITAIPU Binacional e à Fundação Parque Tecnológico Itaipu - FPTI, técnicos e gestores das 3 instituições identificaram a necessidade comum de capacitação dos atores que atuam com a gestão dos recursos hídricos em 6 grandes temáticas: Segurança de barragens; Hidrologia e hidrometria; Qualidade da água; Planejamento e gestão de recursos hídricos; Educação e participação social; Geoprocessamento.

Além disso, percebeu-se que as 3 instituições teriam recursos humanos para o desenvolvimento de um projeto nesta envergadura. A ANA e ITAIPU Binacional dispunham de técnicos e profissionais capacitados na área ambiental, e a FPTI, que tem a "água" como um dos temas que norteiam as ações estratégicas da instituição, dispunha de conhecimento nas áreas de educação a distância - EaD e gerenciamento de projetos. 

 

2- OBJETIVO GERAL

Capacitar pessoas no Brasil e América Latina em prol da boa gestão de recursos hídricos.

 

Objetivos específicos:

- Capacitar 10 mil pessoas em 3 anos;

- Promover a aprendizagem de jovens para a utilização consciente da água, já que estes serão os futuros gestores do recurso;

- Difundir ações de comunicação e mobilização social entre a população em geral;

- Contribuir para a formação dos atuais e futuros gestores públicos e privados e a participação ativa da sociedade na gestão de recursos hídricos.

 

3 - SOLUÇÃO ADOTADA

ANA, FPTI e Itaipu uniram esforços para promover ações educacionais e de conscientização por meio de 33 cursos gratuitos. As necessidades de capacitação chegam até a ANA a partir de demandas identificadas pelas instituições ligadas ao Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos - SINGREH. Os conteúdos dos cursos são estruturados pela equipe do Projeto e por pessoas contratadas e  atendem de forma direta às necessidades apontadas. 

Os interessados nas capacitações tem acesso a um site (www.aguaegestao.com.br) com versões em português e espanhol, onde são apresentados os cursos com inscrições disponíveis, as datas de realização das turmas e demais informações sobre as capacitações, como o público-alvo, o plano de ensino e o conteúdo programático.

Para fazer os cursos, o interessado deve cadastrar-se no site fornecendo informações sobre o perfil acadêmico e profissional. São estas as informações que serão analisadas para selecionar os alunos. Participam dos cursos aqueles que têm perfil compatível com o público-alvo de cada capacitação.

Os 33 cursos são divididos em 3 modalidades de ensino: 18 cursos totalmente a distância, 13 cursos semipresenciais e 2 autoinstrucioais. Todos os cursos são gratuitos, apenas nos semipresenciais a instituição de origem do aluno será responsável pelas despesas com deslocamento, hospedagem e diárias do participante. 

As principais frentes de divulgação do Projeto acontecem por meio do site, redes sociais (www.facebook.com/aguaegestao, www.twitter.com/aguaegestao e www.youtube.com/aguaegestao), divulgações enviadas à imprensa e ainda com uma ferramenta de envio de e-mail marketing. 

Os órgãos executores acompanham as capacitações a fim de monitorar possíveis melhorias e ajustes no que se refere às ações relacionadas à educação a distância, índices de evasão e desistência nos cursos, assuntos recorrentes em cursos desenvolvidos na modalidade a distância. 

 

4 - RESULTADOS ALCANÇADOS

Este Projeto representa a maior iniciativa do Programa “Desenvolvimento Tecnológico, Capacitação, Comunicação e Difusão de Informações em Gestão Integrada de Recursos Hídricos” do Plano Nacional de Recursos Hídricos – PNRH do Brasil.  

- Até maio de 2015 já foram capacitadas mais de 11 mil pessoas no Brasil e demais países da América Latina;

- Foram desenvolvidas mais de um milhão e seiscentas mil ações de comunicação, 6 vezes mais do que se havia planejado na concepção do Projeto;

- Conteúdos técnicos nas 6 temáticas já citadas acima estão disponíveis para instituições que tenham interesse na replicação do conteúdo com base em uma licença autoral que permite a outras instituições replicá-los de forma gratuita, aumentando o alcance de beneficiários;

- De acordo com o monitoramento realizado por meio de relatórios de perfil das turmas, o público-alvo tem sido alcançado. A aprendizagem efetiva é medida de duas formas: nos cursos semipresenciais há uma avaliação prática de acordo com as aulas de campo. Por exemplo: no curso “Inspeção e segurança de barragens”, os alunos são avaliados de acordo com o relatório de inspeção que preencheram na aula de campo. Nos cursos EaD, além dos fóruns de discussão, há questionários e atividades discursivas, com questões abertas e fechadas. São aprovados os alunos que atingirem média 6,0. Os alunos que são aprovados conforme os parâmetros apresentados recebem certificado;

- O Projeto lançou um jogo eletrônico que simula uma bacia hidrográfica com o objetivo de, em linguagem inovadora para chamar a atenção dos jovens, difundir entre eles os conceitos que norteiam a gestão dos recursos hídricos. Em menos de um ano, o jogo já tem mais de 3 mil cadastros;

- O impacto direto das ações desenvolvidas pelo Projeto referem-se à replicação do conhecimento técnico conforme as 6 temáticas desenvolvidas. Além disso, no caso da área de Segurança de barragens, por exemplo, em 2010 foi lançada a nova Política Nacional de Segurança de Barragens (Lei 12334/2010). Os profissionais da área não tinham preparo técnico de acordo com as novas exigências, e por isso os cursos do Projeto vem suprindo esta demanda, preparando os profissionais que atuam na área;

- Do ponto de vista social, ambiental e de conscientização, a equipe do projeto está em articulação com escolas do Estado de São Paulo e do Distrito Federal para que um curso específico para os jovens e o jogo sejam utilizados como material didático nas escolas. A princípio há articulações com estes dois territórios, mas espera-se que aos poucos todos os estados sejam alcançados.

 

O Projeto já foi contemplado com 3 prêmios:

- Prêmio Innova World de Inovação Social (2013)

- Prêmio Ozires Silva de Empreendedorismo na Educação (2014)

- Prêmio Expressão da Ecologia (2015)

 

5 - RECURSOS NECESSÁRIOS

A equipe do Projeto trabalha em 3 locais distintos:

 

- Na ANA, em Brasília (DF), com uma equipe composta por 3 especialistas em recursos hídricos e um gestor;

- Na FPTI, em Foz do Iguaçu (PR), onde atuam 13 profissionais: gestor do convênio, jornalista, analista de comunicação, analista de compras, analista de sistemas, pedagogos, administradores, coordenação de tutores, estagiário de pedagogia e designer instrucional;

- Na Itaipu Binacional, também em Foz do Iguaçu, onde os profissionais atuam principalmente no desenvolvimento dos cursos com temáticas relacionadas a segurança de barragens, qualidade de água e hidrologia, dentre outros.

Os recursos necessários são salas, computadores, telefonia e outros de escritório. Para as aulas presenciais são necessários barcos e equipamentos, de acordo com cada capacitação.

 

Para que um aluno faça os cursos do Projeto é necessário que ele tenha um computador com acesso à internet (em casa, trabalho, lan house, etc). Apenas no caso dos cursos semipresenciais, conforme já apontado, o aluno ou a sua instituição de origem são responsáveis pelas despesas com deslocamento, alimentação, diárias, etc, até a cidade onde será realizado o curso. Os demais recursos são disponibilizados pelo Projeto, como material didático, tutores, professores e itens necessários para as aulas presenciais, como barcos e equipamentos.  

 

 

6 - TRANSFERÊNCIA

Construído para estimular a replicabilidade, os conteúdos do projeto são produzidos com base em uma licença autoral que permite a outras instituições replicá-los de forma gratuita, aumentando o alcance de beneficiários. Uma das instituições que procurou o Projeto foi a Universidade Federal da Bahia para replicação do curso de Segurança de Barragens. A Agência Nacional de Aviação Civil - ANAC está em articulação com a FPTI para a consolidação de um convênio similar ao já desenvolvido. 

 

7 - LIÇÕES APRENDIDAS

O próprio convênio entre as instituições é uma lição aprendida. Por si só nenhuma conseguiria desenvolver um projeto de semelhante envergadura. Trabalhar em conjunto requer disposição para o diálogo e aprendizagem coletiva. 

Uma das principais dificuldades para o desenvolvimento do Projeto é a articulação necessária para a elaboração de cada curso, que segue os seguintes passos: reunião de equipe técnica para definição do conteúdo programático do curso; contratação de profissionais para a escrita do conteúdo; revisão e validação do conteúdo; ajustes; transposição para o ambiente virtual de aprendizagem. Todas estas etapas são demoradas e exigem muitas discussões e revisões para alinhamento dos conteúdos. Os processos de contratação executados pelo Projeto costumam ser mais morosos, pois seguem diversas legislações. São etapas necessárias, pois os recursos do Projeto são públicos. Os desafios vêm sendo supridos e conquistados por meio de planejamento na execução do convênio. 

Além disso, apesar dos esforços para apresentar uma oferta significativa de capacitação, esta iniciativa não atende a toda a demanda de formação em recursos hídricos, esta é sempre crescente por parte dos atores diretamente envolvidos com o tema, já que os processos educativos precisam ser continuados e assim, é necessária a construção de novas alianças para a continuidade do Projeto. Este é uma boa prática pela inovação nos processos educacionais e alcance de público.

 

 

Há possibilidade de visita à prática em qualquer época do ano, mediante agendamento com mínimo de 2 dias de antecedência.

 de visitantes: Até 10 pessoas.

powered by contentmap
Pacto pela Restauração da Mata Ciliar nas Bacias Hidrográficas dos Rios Tijucas e Biguaçu e Bacias Contíguas (09 D)

Pacto pela Restauração da Mata Ciliar nas Bacias Hidrográficas dos Rios Tijucas e Biguaçu e Bacias Contíguas (09 D)

O Pacto pela Restauração da Mata Ciliar nas Bacias Hidrográficas dos Rios Tijucas e Biguaçu, e Bacias Contíguas (Pacto da Mata Ciliar) busca articular instituições públicas e privadas, governos, empresas, comunidade científica e proprietários de terras para integrar seus esforços e recursos para res ...

Leia Mais
Solo na Escola  (08 D)

Solo na Escola (08 D)

Apesar de sua importância para as populações urbanas e rurais, e ao meio ambiente, muitas vezes o conteúdo “solo” é freqüentemente relegado a uma posição de menor importância ou até mesmo ignorado em ações de educação ambiental. O Programa de Extensão Universitária Solo na Escola/UFPR populariza o c ...

Leia Mais
Projeto Tecnologias Sociais para a Gestão da Água – TSGA (07 D)

Projeto Tecnologias Sociais para a Gestão da Água – TSGA (07 D)

O Projeto Tecnologias Sociais para a Gestão da Água – TSGA, selecionado em edital público da Petrobras programa socioambiental, iniciou suas atividades no ano de 2007 com o objetivo de fortalecer o uso sustentável da água através do apoio a capacidade de gestão local de comunidades de bacias hidrogr ...

Leia Mais
Carbono Social em Rede: Recuperação e Conservação Ambiental (04 D)

Carbono Social em Rede: Recuperação e Conservação Ambiental (04 D)

O projeto Carbono Social em Rede desenvolve um trabalho de preservação e valorização ambiental, integrado a ações de desenvolvimento sócio-econômico territorial. Articula ações com povos tradicionais do campo, empresas e instituições comprometidas com a preservação ambiental. ...

Leia Mais
Recuperação de Fontes de Água (06 D)

Recuperação de Fontes de Água (06 D)

A Caritas Brasileira–RS vem promovendo desde 2010 a recuperação de fontes de água de agricultores familiares através de mutirões comunitários, envolvendo famílias, escolas, lideranças, gestores públicos, técnicos agrícolas e pessoas interessadas. Essa ação consiste na limpeza, proteção de tijolos ou ...

Leia Mais
Programa Matas Legais (05 D)

Programa Matas Legais (05 D)

O Programa Matas Legais é direcionado a ações de desenvolvimento da conservação, educação ambiental e incentivos florestais, os quais auxiliam a preservação e restauração dos remanescentes de floresta nativa, melhorando a qualidade de vida das populações e incrementando o desenvolvimento florestal b ...

Leia Mais
Manejo de Resíduos Orgânicos (02 D)

Manejo de Resíduos Orgânicos (02 D)

O Serviço Social do Comércio do Estado de Santa Catarina - SESC, no intuito de promover ações de sustentabilidade no trabalho com "eco-técnicas", promoveu a implantação de pátios de compostagem em suas unidades hoteleiras nas cidades de Florianópolis, Blumenau e Lages.  ...

Leia Mais
 Recuperação de Nascentes em Área Rural (01 D)

Recuperação de Nascentes em Área Rural (01 D)

A partir da necessidade de garantir o abastecimento das comunidades rurais com água de boa qualidade, o Município de Guaraniaçu implantou no ano de 2009 um projeto de incentivo a proteção de nascentes, com adoção da técnica de proteção com solo-cimento. ...

Leia Mais
Projeto Água: Conhecimento para Gestão (03 D)

Projeto Água: Conhecimento para Gestão (03 D)

"Água: Conhecimento para Gestão" é o projeto de maior envergadura no Brasil no que tange a capacitação, educação e mobilização social em recursos hídricos. Oferece 30 mil vagas em 33 cursos de capacitação gratuitos em 3 modalidades: Educação a Distância - EaD, Semipresencial e autoinstrucional. Os c ...

Leia Mais
  1. 1
  2. 2
  3. 3