A abordagem multimídias da Emater/RS-Ascar objetiva proporcionar ao público assistido informações e conhecimentos que promovam a inclusão social e o crescimento sustentável das comunidades rurais. A estratégia da comunicação institucional é a de estruturar sistemas de comunicação e informatização, criando canais que fomentem o diálogo com os produtores, suas organizações e segmentos da sociedade, de forma ágil, dinâmica e eficiente. A divulgação de ações, técnicas sociais e programas governamentais ocorrem através de uma estrutura formada por três núcleos: Assessoria de Imprensa, Criação e Arte e, Rádio e TV. Os produtos de comunicação elaborados através desses núcleos são ferramentas importantes de apoio aos extensionistas na implantação de novas tecnologias.

Atualmente as notícias, vídeos, programas de televisão, entre outros, são veiculados através de convênios sem custo para a instituição. No meio televisão, a instituição mantém convênios com mais de 20 emissoras. Desta forma, já foram veiculados 870 edições do programa Rio Grande Rural e 232 edições do programa Terra Sul. O programa Rio Grande Rural aos domingos, na TVE, horário das 7h, possui cerca de 50 mil telespectadores sintonizados. Já os programas de rádio são veiculados diariamente em 122 emissoras, sendo 12 da capital e 110 do interior do Estado. O alcance das informações possibilita maior agilidade no caminho entre pesquisa e aplicação do conhecimento na propriedade rural.

  

A - Informações gerais

 

INÍCIO: 1998

TÉRMINO: Em andamento  

ENTIDADE EXECUTORA: Emater/RS-Ascar

PARCEIRO: Secretaria de Desenvolvimento Rural e Cooperativismo (RS); Embrapa Clima Temperado – Pelotas/RS; Emissoras de Rádio e de TV. 

APRESENTADO POR: Marco Antônio Medronha da Silva .

RECURSOS: Próprios e de terceiros

FAIXA DE VALOR: Acima de US$ 45 mil 

ÁREA TEMÁTICA PRINCIPAL: Comunicação Rural e Tecnologia da Informação

PALAVRAS-CHAVE: Televisão, rádio, assessoria, imprensa, multimídia, internet, comunicação, extensão rural.

PÚBLICO-ALVO: Agricultores familiares; assentados; indígenas; ribeirinhos; quilombolas, associações de produtores, cooperativas, sindicatos, pesquisadores e extensionistas, comunicadores rurais, jornalistas, programadores de rádio, TV e multimidias.

ABRANGÊNCIA: Televisão (abrangência em 1800 municípios – público potencial 40,8 milhões)
                          Rádio (abrangência em 452 municípios – público potencial 10,3 milhões)
                          Mídias sociais (público potencial 5,8 milhões)

VEÍCULOS DE COMUNICAÇÃO: Televisão, rádio, apps, internet, redes sociais e outros.

 

B - Descrição da prática

 

1- ANTECEDENTES

A evolução dos meios de comunicação trouxe a necessidade de permanente atenção do extensionista rural às mudanças de comportamento da sociedade e particularmente do público rural. As tradicionais formas de mediação, pontes ou suportes para comunicar são constantemente superadas, por equipamentos modernos que causam fascínio e espanto pelas facilidades da tecnologia. Nesse cenário, a equipe de comunicação da Emater observou que a informação não estava chegando com a agilidade e qualidade necessária a uma parcela do público rural. Os programas de rádio e TV precisavam expandir sua abrangência e era necessário instituir e integrar o uso da internet e das redes sociais na divulgação de notícias e tecnologias desenvolvidas pela Emater e outras instituições parceiras. Outra questão a ser aprimorada era a função da comunicação para o Extensionista Rural. Pela abrangência estadual dos escritórios, parte das informações técnicas desenvolvidas pela empresa retardavam em ser conhecidas e aplicadas pelo extencionista. Por fim, a interação com o público estava centrada em uma relação local entre os técnicos do escritório municipal e o público rural microregional (agricultores familiares, comunidades indígenas e quilombolas, pescadores artesanais, etc). Verificou-se que o diálogo institucional com o público poderia estabelecer novas demandas e estratégias para o desenvolvimento do setor comunicacional e auxiliar nas diretrizes do setor técnico/pesquisa. 

  

2- OBJETIVO GERAL

Oferecer ao público alvo da extensão rural um conjunto de meios comunicacionais para facilitar o acesso às informações que promovam o desenvolvimento socioeconômico e cultural do Estado.

Objetivos Específicos: 

  • fortalecer o vínculo da instituição com a comunidade rural e urbana;
  • proporcionar ao extensionista rural informações técnicas de forma ágil e com qualidade;
  • introduzir novas tecnologias de informação na estratégia comunicacional da empresa;
  • elevar a abrangência das notícias e informações técnicas produzidas pela Emater;
  • facilitar o acesso à informação por parte dos produtores rurais e demais públicos interessados;
  • oferecer aos extensionistas rurais formas de comunicar seu trabalho e mostrar as atividades locais a um universo maior de pessoas.

  

3 - SOLUÇÃO ADOTADA

A comunicação institucional da Emater-RS/Ascar está organizada em três núcleos: Rádio e TV (comunicadores responsáveis pela produção de programas de rádio e televisão); Assessoria de Imprensa (comunicadores que produzem matérias jornalísticas, postam no site e atendem a imprensa externa) e; Criação e Arte (profissionais responsáveis pela criação e arte de publicações – folders, banners, cartazes, manuais). Extensionistas, jornalistas, gestores e outros profissionais, possuem funções importantes dentro de cada núcleo, desde a identificação das notícias à divulgação nas comunidades rurais. A Emater/RS coloca à disposição cursos e treinamentos ao seu corpo técnico, conforme disponibilidade de recursos e demandas.

As pautas prioritárias que serão veiculadas são definidas através de reunião semanal entre os comunicadores da extensão rural e em concordância com a diretoria técnica da Emater/RS. A natureza da informação vai definir o tipo de mídia: televisão, rádio, jornal, redes sociais ou outros meios de comunicação interna da instituição. Além da contribuição dos extensionistas na identificação das pautas, vale citar que as feiras e eventos organizados pela instituição são temas em potencial. Nesses casos, a comunicação atua na criação dos materiais de divulgação (folders, banners, etc) e nos cuidados com a identidade visual da instituição (protocolo). Já a assessoria de imprensa produz textos, releases para as mídias locais, regional e estadual. Os eventos e feiras caracterizam-se sempre numa ótima oportunidade de demonstrar os resultados das atividades extensionistas.

Os materiais produzidos e disponibilizados servem para esclarecer, informar, noticiar e, acima de tudo, comunicar a sociedade do valor do trabalho do extensionista e os benefícios das atividades agrícolas para as populações. Entre os principais produtos para divulgação de atividades estão: o calendário agrícola, eventos rurais, políticas públicas, demandas dos assistidos e todo tipo de informação relevante ao desenvolvimento social e econômico das famílias rurais e dos consumidores interessados na melhoria das condições de vida. Os produtos de comunicação da Emater/RS-Ascar, atualmente fazem parte de contrapartidas em acordos de resultados, projetos, campanhas, termos de compromisso e contratos, com benefícios para a instituição, parceiros e o público assistido.

Os meios tradicionais de comunicação como, o rádio, a televisão e o jornal formam os pilares da divulgação e deles derivam outros formatos contemporâneos de comunicação como: facebook, youtube, skype, twitter, entre outros. Entre os instrumentos de comunicação tradicionais utilizados pela Emater/RS-Ascar destacam-se: os programas de televisão “Rio Grande Rural” e “Terra Sul”, programas de rádio, “Jornal da Emater”, materiais impressos, site e redes sociais. A utilização do site institucional www.emater.tche.br ganha notório destaque, pois todos os produtos de comunicação e informação da Emater/RS-Ascar encontram-se disponíveis online. O site é um poderoso instrumento de publicidade, nele estão representadas todas as multimídias com a finalidade de oferecer à sociedade conhecimento sobre o trabalho executado pela extensão rural gaúcha.

Cabe destacar que um dos atores essenciais para o funcionamento da estrutura comunicacional da Emater-RS/Ascar é o extensionista rural. Este profissional está a campo acompanhando a realidade dos agricultores do Rio Grande do Sul. A formação das pautas que figuram nas mídias está diretamente ligada ao trabalho do extensionista. Estes realizam o planejamento anual de atividades que envolve, os chefes de unidade, os assistentes técnicos regionais, estaduais supervisores, gerentes regionais, estaduais e jornalistas de cada região. As atividades desenvolvidas anualmente são potenciais pautas para a Assessoria de Imprensa. Uma vez realizada a publicação de um tema, o extensionista auxilia na promoção e afirmação de determinada inciativa ou prática junto às famílias rurais. Ou seja, a prática identificada ou promovida pelo extensionista transforma-se em uma ferramenta de apoio na implantação de novas tecnologias.

  

4 - RESULTADOS ALCANÇADOS

Os resultados do uso de multimídias como fator de potencialização das ações socioassitenciais na área rural são: 

  • Na televisão, a instituição mantém convênios com mais de 20 emissoras, desta forma são veiculados, 870 edições do programa Rio Grande Rural e 232 edições do programa Terra Sul. O programa Rio Grande Rural aos domingos, na TVE, horário 7h, possui cerca de 50 mil telespectadores sintonizados;
  • Abrangência internacional da programação televisiva por meio de convênio com a TV Brasil, que possui programação na África, Ásia, Europa e América do Norte;
  • No rádio, são produzidos nove diferentes formatos de programas, veiculados diariamente em 122 emissoras, sendo 12 da capital e 110 do interior do Estado. Esta ação representa a veiculação anual de 38.275 programas de rádio;
  • Nos jornais e revistas impressas do Estado do Rio Grande do Sul são publicadas em média 300 matérias mensalmente relativas à Emater/RS-Ascar;
  • Os videos produzidos pela Emater-RS/Ascar e hospedados no youtube possuem mais de 10 milhões de visualizações;
  • Participação e cobertura em mais de 120 Feiras Agropecuárias e 203 eventos de médio e grande porte, o que representa 44% do total de eventos agropecuários do Estado;
  • Maior agilidade na divulgação e aplicação de novas tecnologias desenvolvidas pela empresa e parceiros;
  • Realização de oficinas de rádio e televisão aos extensionistas rurais, nas modalidades EAD e presencial. Recentemente foi inserida nos programas de capacitação um curso EAD chamado "Oficina de Rádio", direcionado para aqueles que desejam aperfeiçoar sua participação e produção em programas radiofônicos.

  

5 - RECURSOS NECESSÁRIOS

Para implantação da estratégia de comunicação desenvolvida pela Emater são necessários:

 

Recursos Humanos
27 profissionais, nas áreas: jornalismo, publicidade, relações públicas, marketing e administrativa. Extencionistas rurais em âmbito municipal.

 

Recursos Materiais:
Estrutura de estúdio para televisão e rádio, equipamentos para reportagens externas, computadores, celulares, veículos.

  

 

6 -LIÇÕES APRENDIDAS

 

O entendimento da proposta de uma nova comunicação para as equipes de extensionistas rurais foi algo trabalhado com persistência pela Gerência de Comunicação. As equipes são formadas por um misto de funcionários experientes, com ênfase em mídias conservadoras e jovens inovadores. Verifica-se, por um lado, a resistência em introduzir novas metodologias de abordagem do público e divulgação de informações. Porém, a vontade de aprender dos mais experientes, junto com a disponibilidade de jovens profissionais, faz com que essa barreira seja superada. Essa relação deve ser transparente, destacando a todo momento os métodos, limitações e benefícios de cada meio de comunicação. A orientação por uma imprensa externa com serviços de qualidade e a instantaneidade das redes sociais prevaleceram. O antigo deu lugar ao jovem com suporte tecnológico amparado pela experiência dos mais antigos na arte de comunicar com os públicos rurais e urbanos. Além da integração entre as novas e antigas abordagens, outro aspecto a ser melhorado é a mensuração quantitativa do impacto e eficiência da comunicação rural na inclusão das novas tecnologias na propriedade rural. Contabilizar as iniciativas na propriedade oriundas das ações de comunicação ainda são um desafio.

   

 

 

Visitas podem ocorrer de Outubro a abril, em horário comercial e respeitando o número máximo de 25 pessoas. 

 

 

Assessoria Técnica e Editoração
Msc. Felipe Jhonatan Alessio - Assistente de Programas da Unidade de Coordenação de Projetos da FAO/ONU no Sul do Brasil.

 

powered by contentmap