O projeto "Quintais Orgânicos de Frutas" é desenvolvido desde 2004 e tem como objetivo contribuir com a sustentabilidade social, econômica e ambiental de públicos em situação de vulnerabilidade e de risco social, econômico e alimentar, principalmente agricultores familiares, assentados da reforma agrária, comunidades indígenas, quilombolas e alunos de escolas rurais e urbanas.

 

A iniciativa privilegia técnica e conceitualmente os princípios da produção de base ecológica, abordando questões culturais, étnicas, ambientais, alimentares, econômicas e medicinais. De 2004 a 2018, foram implantados 2.091 Quintais em 201 municípios do Sul do Brasil e do Uruguai, atingindo 63.845 beneficiários diretos. 

 

A - Informações gerais

 

INÍCIO: Dezembro de 2004 (em andamento)

ENTIDADE EXECUTORA: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Centro de Pesquisa Agropecuária de Clima Temperado- CPACT

PARCEIROS:  Philip Morris do Brasil

APRESENTADO POR: Fernando Rogério Costa Gomes

RECURSOS:  Terceiros 

FAIXA DE VALOR: Acima de U$25 mil

CATEGORIA: Projeto

ÁREA TEMÁTICA PRINCIPAL: Segurança Alimentar e Nutricional

PALAVRAS-CHAVE: Segurança alimentar, saúde, meio ambiente, inclusão social, agricultores familiares e assentados, quilombolas e comunidade escolar.

PÚBLICO-ALVO: Agricultores Familiares, Agricultores Assentados, Comunidades Quilombolas, Comunidades Indígenas, Escolas Rurais, Escolas Urbanas, Universidades e Instituições de Caridade.

LOCALIZAÇÃO: Área urbana e área rural

ABRANGÊNCIA GEOGRÁFICA: Regional (Sul do Brasil)

ÁREA ESPECÍFICA DE IMPLANTAÇÃO: 

Rio Grande do Sul: (171 municípios)

Aceguá; Ajuricaba; Alegrete; Alegria; Alto Alegre; Alvorada; Amaral Ferrador; Anta Gorda; Arambaré; Arroio do Padre; Arroio do Tigre; Arroio Grande; Arvorezinha; Bagé; Barra do Ribeiro; Barros Cassal; Benjamin Constant do Sul; Bento Gonçalves; Boa Vista das Missões; Boa Vista do Buricá; Boqueirão do Leão; Bozano; Butiá; Caçapava do Sul; Cachoeira do Sul; Caiçara; Camaquã; Campos Borges; Candelária; Candiota; Canguçu; Capão do Cipó; Capão do Leão; Capela de Santana; Casca; Caseiros; Cerrito; Cerro Branco; Charqueadas; Charrua; Coqueiro Baixo; Cristal; Cruz Alta; Cruzeiro do Sul; Dilermando de Aguiar; Dois Irmãos; Dois Lajeados; Dom Feliciano; Dom Pedrito; Dona Francisca; Doutor Ricardo; Eldorado do Sul; Encantado; Encruzilhada do Sul; Erebango; Erechim; Espumoso; Farroupilha; Fontoura Xavier; Formigueiro; Frederico Westphalen; Garruchos; General Câmara; Gramado Xavier; Gravataí; Guaíba; Herval; Herveiras; Hulha Negra; Ibarama; Ibirubá; Ilópolis; Iraí; Itapuca; Itaqui; Jacuizinho; Jaguarão; Jaguari; Jaquirana; Jari; Jóia; Júlio de Castilhos; Lagoa dos Três Cantos; Lavras do Sul; Liberato Salzano; Manoel Viana; Mariana Pimentel; Mato Leitão; Morro Redondo; Muçum; Muitos Capões; Nonoai; Nova Bréscia; Nova Palma; Novo Barreiro; Novo Cabrais; Novo Hamburgo; Palmares do Sul; Palmeira das Missões; Paraíso do Sul; Passa Sete; Passo do Sobrado; Passo Fundo; Pedras Altas; Pedro Osório; Pelotas; Pinheiro Machado; Piratini; Planalto; Porto Alegre; Porto Vera Cruz; Putinga; Quaraí; Quevedos; Relvado; Rio Grande; Rio Pardo; Rolante; Rosário do Sul; Santa Cruz do Sul; Santa Margarida do Sul; Santa Maria; Santa Rosa; Santa Vitória do Palmar; Santana da Boa Vista; Santana do Livramento; Santiago; Santo Antônio da Patrulha; Santo Augusto; São Francisco de Assis; São Francisco de Paula; São Gabriel; São Jerônimo; São José do Herval; São José do Norte; São Leopoldo; São Lourenço do Sul; São Luiz Gonzaga; São Marcos; São Martinho da Serra; São Miguel das Missões; São Sepé; São Vicente do Sul; Seberi; Segredo; Sentinela do Sul; Silveira Martins; Sinimbu; Tapera; Tapes; Taquari; Tenente Portela; Teutônia; Toropi; Travesseiro; Três de Maio; Tupanciretã; Tupandi; Turuçu; Uruguaiana; Vacaria; Vale do Sol; Vale Verde; Venâncio Aires; Vera Cruz; Viamão; Vila Nova do Sul; Santo Cristo; Capela Santana; Senador Amaral; Ubiratama

Santa Catarina: (19 municípios)

Água Doce; Concórdia; Chapecó; Curitibanos; Fraiburgo; Ipumirim; Jupiá; Lindóia do Sul; Mafra; Pinhalzinho; Rio das Antas; Rio Negrinho; Santa Rosa do Sul; São Bento do Sul; São João do Sul; Sombrio; Timbé do Sul; Treze Tílias; Turvo.

Paraná: (9 municípios)

Bom Sucesso do Sul; Bituruna; Campo Mourão; Foz do Iguaçu; Irati; Laranjeiras do Sul; Londrina; Pato Branco; São Mateus

Uruguai: (2 municípios)

Municípios de Artigas e Rivera

 

B - Descrição da prática

 

1- ANTECEDENTES

Em que pese os inúmeros projetos de pesquisa e desenvolvimento patrocinados pelo Estado, a miséria, a escassez de alimentos, a desnutrição, o declínio das condições de saúde e a degradação ambiental continuam sendo problemas dos países em desenvolvimento. A Região Sul do Brasil (RS, SC e PR), onde há predominância da agricultura familiar, também têm enfrentado dificuldades de acesso às informações tecnológicas.

Miséria, desemprego, educação precária, degradação do meio ambiente, falta de capacitação e motivação, alimentação deficiente em vitaminas e sais minerais, principalmente de agricultores familiares, assentados, comunidades quilombolas e indígenas são uma triste realidade que precisa ser combatida.

A expectativa é que os beneficiários, através da adoção de tecnologias apropriadas e pela capacitação, complementem sua alimentação com as frutas, hortaliças e grãos produzidos nos quintais, agreguem valor às matérias primas e incrementem os rendimentos, tornando-se autoconfiantes e tecnicamente mais competentes para que sejam capazes de assumir a responsabilidade de correção das suas próprias ineficiências e de protagonizar a solução de seus problemas.

 

2- OBJETIVO GERAL

Introduzir e validar, em áreas urbanas e rurais, tecnologias que propiciem a implantação de quintais orgânicos de Alimentos, com propriedades nutricionais e funcionais, de forma a contribuir com a diminuição da fome e aumento da qualidade de vida da população.

 

Objetivos Específicos: 

  • Validar a utilização de frutas, como estratégia para a segurança alimentar, disponibilizando, com regularidade de oferta durante todo o ano, frutas saudáveis, nutritivas e com propriedades funcionais.
  • Validar a produção de hortaliças e grãos como estratégia para a segurança alimentar, disponibilizando, com regularidade de oferta, alimentos saudáveis e nutritivos.
  • Capacitar agricultores familiares, assentados, comunidades quilombolas e indígenas, comunidade escolar (rural e urbana) nas técnicas de implantação e manutenção de quintais orgânicos.
  • Capacitar os beneficiários quanto às propriedades nutracêuticas e transformação das frutas em doces, sucos, conservas, polpas, etc...
  • Resgatar conhecimentos, saberes e materiais genéticos, alguns em vias de extinção (frutas nativas).
  • Promover o cuidado com o meio ambiente, desenvolvendo praticas seguras de produção e consumo, fomentando o manejo adequado e sustentável dos recursos naturais.
  • Difundir e transferir as tecnologias pesquisadas e validadas na Embrapa Clima Temperado.
  • Promover o desenvolvimento de valores como, solidariedade, respeito, compromisso, auto- estima, trabalho em equipe e cooperação, entre outros.

 

3 - SOLUÇÃO ADOTADA

A metodologia fundamenta-se na produção de mudas frutíferas, seleção e implantação dos quintais, juntamente com os parceiros, a partir de processo participativo e com tecnologia da Embrapa Clima Temperado. Os quintais implantados compõem uma Rede de Referência ou Unidades Demonstrativas, as quais, além de promover o intercâmbio e transferência de tecnologias, permitem, ainda, pesquisar e validar a utilização de frutas, grãos e hortaliças, como estratégia para a segurança alimentar, disponibilizando, com regularidade de oferta durante todo o ano, alimentos saudáveis, nutritivos e com propriedades funcionais.

Os beneficiarios recebem as mudas frutíferas, mudas de quebra-ventos, diversos insumos e, como contrapartida, deverão disponibilizar a área para implantação do quintal e se comprometerem com a mão de obra, tanto para a sua implantação como manutenção. Cada  quintal possui  cinco plantas de 19 espécies de frutas escolhidas em função de suas características nutricionais e medicinais e por se adaptarem bem aos solos e ao clima da região de clima temperado. As 90 plantas que compõem cada quintal são constituídas pelas seguintes espécies de frutíferas, algumas delas, nativas do Sul: pêssego, figo, laranja, amora-preta, cereja-do-Rio-Grande, araçá, goiaba, caqui, pitanga, romã, tangerina, limão, guabiju, araticum, uvaia, videira, jabuticaba, guabiroba e butiá.

A partir de 2012, também estão sendo cultivadas 13 espécies de hortaliças, além de milho, feijão e batata doce, totalizando 35 alimentos no Quintal. Em 2015, foi incluída uma espécie para alimentação animal, a forrageira BRS Kurumi. Também são priorizadas a realização de cursos de capacitação na transformação e agregação de valor aos alimentos dos quintais, assim como, de conhecimentos sobre suas propriedades funcionais. 

 

4 - RESULTADOS ALCANÇADOS

O projeto "Quintais Orgânicos de Frutas" encontra-se presente em 02 países (Brasil e Uruguai) e abrange 171 municípios do estado do Rio Grande do Sul, 19 municípios do estado de Santa catrina e 09 municípios do estado do Paraná.

Já beneficiou 3.178 agricultores assentados,5.681 agricultores familiares, 33.892 alunos, 2.641 indígenas, 869 quilombolas e 8.668 beneficiários em instituições assistencialistas.

 

Destaca-se que com os recursos do Prêmio Finep de Inovação na categoria "Tecnologia Social" Região Sul e Nacional, obtido em 2009 e liberados em 2013, foram implantados:

  • Cerca de 274 Quintais entre 2014-2017;
  • Beneficiando diretamente 178 agricultores assentados, 1.611 agricultores familiares, 6.552 alunos, 25 quilombolas e 550 beneficiário em instituições assistenciais;

Totalizando os apoios financeiros recebidos dos parceiros a iniciativa "Quintais Orgânicos" atingiu cerca de 63.845 beneficiários diretos, com 2.091 quintais formados com mais de 384 mil planta. Do total de plantas 151.935 são frutíferas (aproximadamente 50% de nativas e em via de extinção) e o restante plantadas como cortinas vegetais ou quebra-ventos para os quintais.

 

5 - RECURSOS NECESSÁRIOS

Recursos Humanos:

A equipe é formada por 6 pesquisadores 1 analista, além de 4 bolsistas universitários de diversas áreas, custeados pela Philip Morris do Brasil. Contamos com o apoio da Emater-RS, assim como de secretarias municipais de Educação  e  Agricultura.

Estrutura Física:

Na Estação Experimental da Cascata/Pelotas-RS, com recursos da CGTEE, existe uma unidade para produção de mudas, composta por 02 estufas, 03 telados, casa de apoio, galpão, depósito e 02 quintais matrizeiros, em área de 2500/m². Quanto à logística de transporte, dispomos de uma camioneta Chevrolet S10 adquiridos com recursos do Prêmio FINEP de inovação. Demais itens são cedidas pela Embrapa Clima Temperado.  

 

 

6 - TRANSFERÊNCIA

De 2004 a 2018, foram implantados 2.091 Quintais em 201 municípios do Sul do Brasil e do Uruguai, com 384.985 árvores plantadas, sendo 177.735 frutíferas e o restante de quebra- ventos. Atingindo 63.845 beneficiários diretos, onde: 3.356 agricultores assentados/ 7.292 agricultores familiares/ 41.083 alunos/ 2.641 indígenas/ 894 quilombolas e 8.579 de instituições assistencialistas.

O Projeto recebeu as seguintes premiações: Certificação de Tecnologia Social, pela Fundação Banco do Brasil; Tecnologia Ambiental na 3ª Edição da Feira Internacional de Tecnologia para o Meio Ambiente (FIEMA); Tecnologias Socioambientais- Setor Público, durante a 16ª Edição do Prêmio Expressão de Ecologia; Tecnologia Social Região Sul e Nacional, pela Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP); Certificado de "Boas Práticas para o Desenvolvimento Sustentável" da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura; Prêmio de Agradecimento aos Parceiros EFASC - 2017. Cada Quintal constitui uma Unidade de Referência ou Demonstrativa, usada para dias de campo, visitas, cursos, dentre outros. 

Outras Informações: www.projetoquintais.com.br; www.projetoquintais.org.br; www.facebook/projetoquintais; Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

7 - LIÇÕES APRENDIDAS

O projeto comprova a promoção pretendida de segurança alimentar, inclusão social e capacitação de agricultores familiares,assentados da reforma agrária, quilombolas, comunidade escolar e instituições assistencialistas. Resgata a tradição da produção de alimentos no quintal de casa, contribuindo com a saúde, preservação de espécies nativas, fornecimento de alimentos e seus subprodutos, durante os 12 meses do ano.

Frutas excedentes são transformadas em sucos concentrados, geleias e doces, possibilitando a agregação de valor. O projeto visa, ainda, capacitar e estimular os beneficiários a identificar espécie(s) que possuam oportunidade mercadológica no seu território e, com isso, ampliarem a área de cultivo, gerando renda, emprego e desenvolvimento.

Todo o sucesso da iniciativa se credita à sua simplicidade e fácil compreensão pelos beneficiários, sendo que, a principal dificuldade identificada nesta longa trajetória de aplicação do conceito, reside na dificuldade de obtenção de recursos financeiros suficientes relativamente às épocas do ano em que seriam mais necessários.

 

8 - ORIGINALIDADE DA PRÁTICA

Trata-se de uma prática original, sem iniciativa análoga dentro das regiões que a iniciativa abrange.

 

 

 

Visitas: em qualquer época do ano, sem limite de visitantes, recomenda-se apenas, para melhor atendimento, agendar previamente a visita com o coordenador técnico do projeto.

 

powered by contentmap
Unidade de Produção de Arroz Orgânico (02 E)

Unidade de Produção de Arroz Orgânico (02 E)

 A partir dos bons resultados obtidos com a experiência na produção de hortaliças com base agroecológica em apenas 1,5 hectare no assentamento Integração Gaúcha, de Eldorado do Sul, e do entendimento de que era necessária a transição do sistema conve ...

Sistema Eletrônico para Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar (12 E)

Sistema Eletrônico para Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar (12 E)

O Sistema Eletrônico Merenda possibilita realizar Chamadas Públicas de grande complexidade (grande número de gêneros, escolas e municípios) para aquisição de gêneros da Agricultura familiar. Inclui cadastro das entidades e projetos de venda, controle ...

Agroindústria Familiar: Uso Sustentável da Agrobiodiversidade Nativa (03 E)

Agroindústria Familiar: Uso Sustentável da Agrobiodiversidade Nativa (03 E)

A Agroindústria Bellé consolidou-se como apoio às famílias que desenvolvem a agricultura ecológica e extrativista em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul promovendo o aproveitamento do volume da produção não comercializada pela pequena propriedade p ...

Cozinha Social e Restaurantes Populares (06 E)

Cozinha Social e Restaurantes Populares (06 E)

O município de Toledo, em 2006, implantou a Cozinha Social e os RPs (Restaurantes Populares), e assim extrapolou os limites do assistencialismo puro e simples, passando à implementação de uma política pública de assistência social, garantindo acesso ...

Centro de Multiplicação de Genética Caprina (05 E)

Centro de Multiplicação de Genética Caprina (05 E)

Diante das dificuldades enfrentadas pelos caprinocultores da região sudoeste foi proposto pelos pesquisadores do Instituto Agronômico do Paraná e técnicos da SEAB e Emater, o desenvolvimento de um programa que agregasse valor à atividade.   {galler ...

Programa Nacional de Alimentação Escolar – Uma Experiência de Comercialização Integradora (09 E)

Programa Nacional de Alimentação Escolar – Uma Experiência de Comercialização Integradora (09 E)

A prática apresentada relata a experiência desenvolvida a partir do ano de 2013 e articulada entre a Emater/RS-Ascar, através da Unidade de Cooperativismo de Erechim/RS (UCP), 7ª Coordenadoria Regional da Educação, Conselho Municipal de Segurança Ali ...

Projeto Doce Fruta: Apoio aos Programas Institucionais (01 E)

Projeto Doce Fruta: Apoio aos Programas Institucionais (01 E)

O Projeto Doce Fruta, desenvolvido a partir de 2010 junto aos 50 municípios da região oeste do Paraná, visa a inclusão das famílias rurais no processo de diversificação da produção in natura e na agroindustrialização, através da ampliação de pequenos ...

Combate à Fome: rede solidária entre quilombolas e indígenas  (08 E)

Combate à Fome: rede solidária entre quilombolas e indígenas (08 E)

A região oeste do Paraná destaca-se pela elevada produção de grãos, suínos e aves, porém, nela concentram-se comunidades em extrema vulnerabilidade social, tais como quilombolas e indígenas. Entre os referidos grupos, prevalecem a pobreza e a escasse ...

 Sistema de Tratamento de Água para o Meio Rural com Filtro Lento Modelo Imaruí (11 E)

Sistema de Tratamento de Água para o Meio Rural com Filtro Lento Modelo Imaruí (11 E)

Até o ano de 2005 a água consumida por muitas famílias rurais da Região de Tubarão não passava por qualquer proteção, filtragem ou tratamento. Para contribuir com a qualidade de vida dessa população, os técnicos da Epagri pesquisaram alternativas de ...

Quintais Orgânicos de Frutas: Contribuição para a Segurança Alimentar em Áreas Rurais e Urbanas (07 E)

Quintais Orgânicos de Frutas: Contribuição para a Segurança Alimentar em Áreas Rurais e Urbanas (07 E)

O projeto "Quintais Orgânicos de Frutas" é desenvolvido desde 2004 e tem como objetivo contribuir com a sustentabilidade social, econômica e ambiental de públicos em situação de vulnerabilidade e de risco social, econômico e alimentar, principalmente ...

 Caracterização e Identificação de “Guardiões de Sementes Crioulas” na Perspectiva de Ampliação da Segurança Alimentar (10 E)

Caracterização e Identificação de “Guardiões de Sementes Crioulas” na Perspectiva de Ampliação da Segurança Alimentar (10 E)

O elemento basilar para a construção da prática é a constatação da existência, mundialmente, do fenômeno cunhado como “erosão genética”, que em seu sentido mais amplo concretiza-se como a perda de componentes do patrimônio genético das espécies e, po ...

Rastreabilidade: Programa Alimento Sustentável (PAS) (04 E)

Rastreabilidade: Programa Alimento Sustentável (PAS) (04 E)

O Programa Alimento Sustentável - PAS contempla a rastreabilidade e o monitoramento de frutas, legumes e verduras (FLV). Através de um fluxo de informação integrado, utilizando sistemas de registro de dados e comunicação entre produtor, distribuidor, ...

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. 4