Buscando fortalecer os ideais cooperativos e amparada por sua missão de como sistema cooperativo, valorizar o relacionamento, oferecer soluções financeiras para agregar renda e contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos associados e da sociedade, a SICREDI Alto Uruguai RS/SC, concebeu a implantação do presente projeto. O mesmo caracteriza-se pela gestão das propriedades rurais com ênfase aos aspectos econômicos, ambientais e sociais, direcionada à melhoria da vida dos pequenos produtores e, consequentemente, do meio ambiente onde vivem.

 

Das 60 propriedades atendidas, desde de o início do Projeto até ao presente momento, cerca de 30% delas atingiram uma sustentabilidade de ordem financeira e ambiental. Por meio de diagnósticos elaborados por consultoria especializada, a Sicredi oferece a pequenos produtores familiares, cooperados, a oportunidade de otimização da vocação de suas propriedades, pela escolha e/ou adaptação a processos de produção, planejamento e gestão mais eficientes.

 

A - Informações gerais

 

INÍCIO: Fevereiro de 2013  - (em andamento)  

ENTIDADE EXECUTORA: Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Associados Alto Uruguai – SICREDI Alto Uruguai RS/SC

PARCEIROS: O projeto é desenvolvido com recursos exclusivos da SICREDI Alto Uruguai RS/SC, por isso não possui parceiros financeiros. É considerada uma apoiadora desta iniciativa, a empresa Somavilla Serviços Agropecuários e Ambientais LTDA, prestando assessoria sempre custeada pela SICREDI Alto Uruguai RS/SC. A iniciativa também conta com o apoio dos Poderes Públicos Municipais e de Sindicatos dos Trabalhadores Rurais, dos municípios onde o Programa Propriedade Sustentável já foi implantado

APRESENTADO POR: Eugênio Poltronieri

RECURSOS: Próprios 

FAIXA DE VALOR: Acima de US$ 25 mil

CATEGORIA: Projeto

ÁREA TEMÁTICA PRINCIPAL: Agricultura

PALAVRAS-CHAVE: Cooperativismo, Associativismo, Agricultura Familiar, Meio Ambiente, Sustentabilidade, Geração de Renda, Pequenas Propriedades Rurais, Unidade de Produção Familiar, Qualidade de Vida, Qualidade Ambiental, Legislação Ambiental, SICREDI Alto Uruguai RS/SC

PÚBLICO-ALVO: Agricultores familiares associados ao SICREDI, nos municípios de Cerro Grande, Cristal do Sul, Novo Tiradentes, Pinhal, Rodeio Bonito, Caiçara, Irai e Frederico Westphalen, no estado do Rio Grande do Sul. Os beneficiados diretos são os próprios produtores.

LOCALIZAÇÃO: Área rural

ABRANGÊNCIA GEOGRÁFICA: Microrregional

MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO: Os municípios atualmente contemplados com o programa fazem parte da microrregião de Frederico Westphalen, no estado do Rio Grande do Sul, a saber: Cerro Grande, Cristal do Sul, Novo Tiradentes, Pinhal, Rodeio Bonito, Caiçara, Irai e Frederico Westphalen

 

 

B - Descrição da prática

 

1- ANTECEDENTES

O Programa Propriedade Sustentável foi concebido face a uma carência regional histórica caracterizada pela inexistência de processos capazes de prover orientações aos pequenos agricultores familiares, processos estes direcionados à gestão de atividades produtivas e sustentáveis dos pontos de vista econômico, social e ambiental. Nascia assim, um programa capaz de tratar a propriedade com uma visão sistêmica da gestão, com uma abordagem capaz de gerar sustentabilidade financeira e ambiental aos pequenos produtores.

Desse modo, o Programa Propriedade Sustentável apregoa a gestão da propriedade, pela adoção de atividades rentáveis e em consonância com a legislação ambiental, e ao mesmo tempo, busca incluir o máximo de integrantes do núcleo familiar aos processos de construção. Razão pela qual, uma das etapas mais importantes deste programa é a delimitação do seu público alvo, caracterizado pelos núcleos familiares das pequenas propriedades onde opera, e caracterizando-se pela participação desses núcleos em todas as etapas do projeto.

 

2- OBJETIVO GERAL

Implantar um Programa piloto de orientação de agricultores voltado à sustentabilidade da Unidade de Produção Agropecuária (UPA), considerando os aspectos sociais, ambientais e econômicos. 

Objetivos específicos: 

- Incrementar a gestão na pequena propriedade;

- Incrementar a renda da pequena propriedade;

- Incrementar a conformidade ambiental da pequena propriedade;

- Reduzir o êxodo rural.

 

3 - SOLUÇÃO ADOTADA

O público-alvo do programa “Propriedade Sustentável” são agricultores associados ao SICREDI que possuem suas atividades focadas na suinocultura, avicultura, pecuária de leite, fruticultura, hortaliças ou outras atividades alternativas de uso do solo.O programa foi desenvolvido inicialmente, na área de atuação da SICREDI Alto Uruguai RS/SC, abrangendo os planos piloto dos municípios de Rodeio Bonito, Pinhal, Cerro Grande, Cristal do Sul e Novo Tiradentes, para posteriormente, na sua segunda etapa, estender-se aos municípios de Caiçara, Irai e Frederico Westphalen.

A seleção dos agricultores é realizada pelas Unidades de Atendimento da cooperativa nos respectivos municípios, seguindo com o apoio das Secretarias de Agricultura Municipais, dentro dos critérios definidos pela cooperativa, sempre observando a realidade de cada participante. Através da análise das propriedades torna-se possível levantar informações gerais, através de um diagnóstico participativo rápido, caracterizado por um reconhecimento prévio da realidade visitada. Consideram-se no evento, elementos relativos às principais explorações, suas estruturas, grau de ocupação do solo, pontos fortes e críticos, entre outros. Tais fatores são corroborados pela utilização de fotografias e filmagens, além de entrevistas semi-estruturadas. 

A partir da interpretação dos dados verificar-se-á o desempenho da propriedade, comparando com a situação desejada, a qual traduz-se pelos objetivos do produtor. De posse de alguns elementos obtidos na propriedade e das demandas de mercado será efetuado um planejamento da propriedade, e das atividades a serem implantadas, bem como do ajuste daquelas já adotadas. Para compor a turma de participantes, as Unidades de Atendimento dispõem de um “Formulário de Inscrição”. Os gestores das Unidades de Atendimento, via de regra, identificam alguns possíveis participantes e preenchem os formulários, remetidos posteriormente para a Superintendência Regional, aos cuidados do gestor da Área de Relacionamento.Nessa ocasião, realiza-se uma triagem dos inscritos e em seguida agenda-se uma reunião com os gestores das unidades participantes para, em conjunto com a direção e a empresa parceira na execução do projeto selecionarem-se cinco associados de cada município atualmente integrante do projeto.

Após a definição dos participantes é realizado um evento de abertura do programa, onde são convidados os produtores selecionados, bem como o cônjuge e/ou parentes. Em seguida realizam-se os diagnósticos das propriedades conforme já relatado, num processo com duração de aproximadamente 45 dias. Durante esse mesmo período, iniciam-se as orientações básicas de atendimento ás primeiras necessidades verificadas. Com os diagnósticos obtidos da propriedade e das demandas de mercado são elaborados os planejamentos das propriedades, com as suas respectivas etapas ou atividades a serem implantadas. Para cada propriedade constrói-se uma planilha específica, ajustando as atividades para alcançar ou manter, ou ainda superar, a referência de 2,5 salários mínimos mensais (referência 2014 = R$ 724,00), para cada Unidade de Trabalho Humano (UTH). Ressalta-se que as práticas recomendadas pelo diagnóstico de cada propriedade divergem umas em relação às outras, devido às suas particularidades e vocações, considerando-se sempre as tradições regionais e as atividades de melhor aceitação por parte dos proprietários rurais.

A absorção desta produção se dará primeiramente pelo mercado regional, onde a exemplo do leite produzido que é entregue para ser processado em empresas ou cooperativas da região. Da mesma forma, as frutas e hortaliças são empregadas parta abastecer os supermercados dos municípios contemplados pela iniciativa e os suínos são vendidos aos frigoríficos da região. Os grãos, por sua vez, são comercializados com as empresas de beneficiamento ou demais cooperativas regionais. 

Por fim, em relação aos aspectos ambientais serão considerados os impactos ambientais de cada atividade. desse modo, serão propostas adequações das atividades de acordo com a legislação ambiental vigente, com uma atenção especial dispensada ao tema água em cada propriedade, particularmente na orientação à captação através de reservatórios superficiais abastecidos pelas águas pluviais (cisternas). Outros aspectos importantes, também são alvo do projeto, como a adequação das Áreas de Preservação Permanente (APPs), a recomposição da vegetação resultante de passivos ambientais, a deposição correta de embalagens e resíduos de agrotóxicos. Os reflorestamentos energéticos e comerciais costumam ser usualmente incentivados, como alternativa de renda e diversificação das propriedades, para situações em que os mesmos sejam viáveis. Também são prestadas orientações para a adoção de tecnologias de baixo impacto ambiental, principalmente no uso correto dos agrotóxicos e, sempre que possível, efetuando o controle de pragas e doenças com manejo integrado ou com produtos biológicos.

Através da consultoria financiada pela SICREDI, com uma duração total de 01 ano, os produtores rurais integrantes do projeto passam a ter um maior nível de gestão sobre os recursos disponíveis nas propriedades, como:

•a superfície agrícola útil - suas potencialidades e limitações; 

•no capital -  identificando os recursos produzidos e à disposição da produção (máquinas, instalações, benfeitorias e animais); e 

•na mão-de-obra - identificando as atividades executadas por exploração, época em que são realizadas e o tempo gasto em cada atividade em dias de trabalho.

Como no decorrer das consultorias são sugeridos investimentos nas propriedades objetivando melhorias de produção, a SICREDI ampara as necessidades dos associados, auxiliando e facilitando na busca do crédito necessário para tal investimento. Porém, o benefício imediato que as famílias selecionadas pelo projeto acessam, consiste nas próprias assessorias feitas pelos técnicos contratados e custeadas em sua totalidade pela SICREDI.

 

4 - RESULTADOS ALCANÇADOS

Os resultados obtidos até ao momento pelo Programa Propriedade Sustentável são divididos em 02 fases a saber:

Primeira Turma (ano de 2013):

A implantação da primeira turma do Programa Propriedades Sustentáveis, contemplou 30 propriedades nos municípios de Novo Tiradentes, Rodeio Bonito, Cerro Grande, Cristal do Sul e Pinhal, no estado do Rio Grande do Sul. Durante o ano de 2013, 18 produtores participantes da primeira turma iniciaram redirecionamentos de atividades, e efetuaram investimentos em estruturas ou serviços para adequação das propriedades, conforme diagnóstico ofertado pela iniciativa da SICREDI

Apesar de receptivos ao programa, cerca de 10 produtores participantes da primeira turma, não apresentaram disposição para a adoção de inovações ou mudanças sugeridas pelos diagnósticos. Ainda, 02 produtores selecionados pelo projeto, não apresentaram interesse na adesão, mesmo tendo sido visitados pela iniciativa e recebido diagnóstico para orientação. 

Segunda Turma (ano de 2014):

Em maio de 2014, foi implantada a segunda turma do programa, em processo análogo ao anterior e direcionado a mais 30 famílias dos municípios de Irai, Caiçara e Frederico Westphalen, também no estado do Rio Grande do Sul.  Na referida segunda turma, dos 30 agricultores inicialmente cadastrados, 10 iniciaram redirecionamentos ou ampliação de atividades, conforme diagnósticos produzidos pelo projeto, bem como encaminharam os investimentos necessários em estruturas ou serviços para adequação das propriedades.Cerca de 11 produtores, apesar de receptivos ao programa, não apresentaram motivação para inovações ou mudanças sugeridas pela consultoria fornecida pela Sicredi. 

Na avaliação da evolução das propriedades contempladas, tanto na primeira turma, quanto na segunda turma do projeto (com exceção das 21 propriedades que não aderiram a iniciativa)  registram-se os seguintes aspectos em relação às atividades adotadas por orientação dos diagnósticos produzidos:

•28 propriedades adotaram a atividade leiteira;

•23 propriedades adotaram a suinocultura;

•18 propriedades conduzem lavouras de grãos (milho, soja, trigo);

• 09 produzem fumo; 

• 03 produzem hortigranjeiros. 

Na composição das atividades, atualmente, 18 propriedades conduzem atividades direcionadas à produção de leite e suínos e, 14 propriedades possuem mais de três atividades simultaneamente. 

No início do diagnóstico, em 2013, apenas 07 propriedades possuíam renda satisfatória, igual ou superior a R$ 1.695,00/UTH (Unidade de Trabalho Humano -Homem. Corresponde a 300 dias de trabalho, 8 horas/dia). Em outras 07 propriedades, nem sequer havia renda para satisfazer uma UTH do núcleo familiar. Com o trabalho de orientação e consultoria foram efetuados estudos de ajustes para adequação da renda familiar, ampliando, abdicando ou suplementando atividades para que, nas propriedades, cada UTH auferisse pelo menos 2,5 salários mínimos mensais.  Atualmente, cerca de 30% das propriedades do projeto, além das 07 que já possuiam indicadores de receita adequados desde o início dos trabalhos, incrementaram sua rentabilidade, perfazendo um total de 13 pequenas propriedades ambientalmente, socialmente e economicamente viáveis.  

No que diz respeito aos resultados ambientais registra-se ao longo dos seus 02 primeiros anos de existência, uma significativa melhoria das propriedades contempladas pelo programa relativamente à correta deposição dos dejetos por parte dos criadores de suínos e maior proteção das matas ciliares. Reitera-se que esta análise não encerra o trabalho, mas sim apresenta subsídios para a reflexão e discussão remetendo para ações em favor da perpetuação e sustentabilidade financeira e ambiental das pequenas propriedades rurais familiares.

 

5 - RECURSOS NECESSÁRIOS

Os recursos facultados pela SICREDI para a execução dos diagnósticos da propriedades selecionadas, destinam-se ao pagamento de:

 

Recursos Humanos:

•01 engenheiro agrônomo;

•01 biólogo.

 

Recursos Materiais:

01 veículo ;

•01 máquina fotográfica;

•02 computadores;

•Material de escritório – pranchetas, papel, canetas, etc.

 

 

6 - TRANSFERÊNCIA

A replicação da prática poderá vir a ser adotada por outras instituições de crédito e instituições financeiras de fomento à agricultura. Considerando a ideia central do projeto como incentivadora de boas práticas na agropecuária familiar, poderá também funcionar com assistência técnica e extensão rural - ATER, associada a secretarias municipais de agricultura e entidades de classe como sindicatos rurais.

 

7 - LIÇÕES APRENDIDAS

No decorrer da implantação do Programa Propriedade Sustentável, a SICREDI Alto Uruguai RS/SC percebeu a grande necessidade que ainda existe, para a criação de  processos que possam auxiliar os pequenos produtores rurais na condução das suas propriedades. Identificaram-se grandes lacunas relativamente a assistência técnica extensiva às pequenas propriedades regionais, o que limita os agricultores a empreenderem as necessárias mudanças em busca da sua viabilidade. O baixo grau de escolaridade desse público alvo, também contribui sobremaneira, para as limitações identificadas quanto à adoção de tecnologias e novas alternativas de produção. Sendo portanto, a consultoria periódica nas propriedades facultada por este projeto, um instrumento imprescindível para a organização e consequente viabilização de pequenos empreendimentos rurais.

Em resumo, o resultado final que vem sendo atingido, contribui para uma melhor gestão das propriedades rurais familiares atendidas pelo programa, constatando-se um incremento na rentabilidade da maioria das famílias. Considera-se então, que de acordo com esta prática, a mesma poderá ter ampliada sua adesão às propriedades vizinhas.

Com efeito, verificam-se as melhorias realizadas nas propriedades rurais e nas residências, com a aquisição ou troca de benfeitorias, aumentando assim, a autoestima de todos os membros familiares.Também se podem perceber os ganhos ambientais em curso, com a adequação de condicionantes previstas pela legislação e a redução pela racionalização da utilização de defensivos, bem como a sua correta deposição.

 

7 - ORIGINALIDADE DA PRÁTICA

Não existem iniciativas conhecidas, similares ao “Programa Propriedade Sustentável” conduzidas por parte de outros agentes de crédito, na região sul do Brasil. 

 

Visitação pode ser efetuada em qualquer época do ano. Não há restrições quanto ao número de visitantes.

 

 

powered by contentmap
Manejo Integrado de Pragas da Soja (MIP) - safra 2014/15 - Paraná  (21 A)

Manejo Integrado de Pragas da Soja (MIP) - safra 2014/15 - Paraná (21 A)

O Manejo Integrado de Pragas (MIP) é uma tecnologia baseada na amostragem e monitoramento da lavoura para a tomada de decisão em relação ao controle de pragas. É uma ferramenta adequada para a racionalização do uso de inseticidas e redução nos custos ...

Leia Mais
Assistência Técnica na Propriedade Leiteira Familiar - Formando Unidades de Referência (14 A)

Assistência Técnica na Propriedade Leiteira Familiar - Formando Unidades de Referência (14 A)

A produção leiteira tem crescido em muitas regiões do país, no Paraná merecem destaque as regiões oeste e sudoeste. Estes resultados muito se devem ao crescimento da atividade na agricultura familiar e a assistência técnica presente nestas propriedad ...

Leia Mais
Pupunha para Palmito na Agricultura Familiar  (23 A)

Pupunha para Palmito na Agricultura Familiar (23 A)

O projeto tem como objetivo disponibilizar aos produtores tecnologias que dão suporte à atividade de produção da palmeira pupunha (Bactris gasipaes) para palmito no Litoral Paranaense. Foram conduzidos experimentos pela Embrapa Florestas e parceiros ...

Leia Mais
Projeto Vitória: Assistência Técnica para Produção Leiteira (02 A)

Projeto Vitória: Assistência Técnica para Produção Leiteira (02 A)

O Projeto Vitória baseia-se no desenvolvimento de uma estratégia metodológica que parte da realidade da propriedade rural, propõe desafios para aumentar a produção de leite, produtividade e renda, através de tecnologias já validadas, avaliadas in loc ...

Leia Mais
Desenvolvimento da Cultura do Morangueiro no Norte Pioneiro do Paraná (07 A)

Desenvolvimento da Cultura do Morangueiro no Norte Pioneiro do Paraná (07 A)

Iniciado pelo Instituto EMATER em 1992, a proposta de diversificação de explorações agrícolas e organização rural buscou reverter à baixa rentabilidade em pequenas propriedades, aumentar a oferta de trabalho e permitir o acesso à terra para aqueles q ...

Leia Mais
Seleção e Produção de Abelhas Rainhas - Apis mellifera (30 A)

Seleção e Produção de Abelhas Rainhas - Apis mellifera (30 A)

A substituição periódica de rainhas é um procedimento necessário e reconhecido pelos apicultores para o bom desenvolvimento da atividade. Visando potencializar a produção de mel no Estado, a prática desenvolvida pela Epagri tem como objetivo a seleçã ...

Leia Mais
 Produção de Leite a Base de Pasto Utilizando Manejo Rotativo nas Pastagens (29 A)

Produção de Leite a Base de Pasto Utilizando Manejo Rotativo nas Pastagens (29 A)

A cadeia produtiva do leite no Estado de Santa Catarina está alicerçada em diferentes sistemas produtivos, que por sua vez são identificados através do manejo e fonte da alimentação animal, nível tecnológico e da produtividade obtida. Dentre os siste ...

Leia Mais
Rede de Propriedades de Referência Tecnológicas - REPROTEC (08 A)

Rede de Propriedades de Referência Tecnológicas - REPROTEC (08 A)

O REPROTEC busca aumentar a produtividade da pecuária de corte por meio da melhoria dos índices zootécnicos, com ações de pesquisa e extensão com tecnologias adaptadas para as condições da região. Ações de assistência técnica, organização dos produto ...

Leia Mais
Agricultura de Precisão na Pequena Propriedade Rural (04 A)

Agricultura de Precisão na Pequena Propriedade Rural (04 A)

As atuais demandas da sociedade exigem da agricultura um incremento constante de produção por unidade de área, aliada a minimização dos efeitos ambientais danosos. Neste contexto, a agricultura de precisão tem se mostrado um sistema capaz de atender ...

Leia Mais
Produção de Morangos em Sistema Semi-hidropônico Suspenso (28 A)

Produção de Morangos em Sistema Semi-hidropônico Suspenso (28 A)

O cultivo de morangos em semi-hidroponia de forma suspensa tem conquistado muitos adeptos. A preferência é justificada pela melhor utilização do espaço na pequena propriedade com bons resultados econômicos, adaptação à realidade da mão-de-obra dispon ...

Leia Mais
Intercooperação para Implantação de Ações de Incentivo ao Desenvolvimento Regional. (19 A)

Intercooperação para Implantação de Ações de Incentivo ao Desenvolvimento Regional. (19 A)

Este case destaca dois princípios universais do cooperativismo:  •Educação, Formação e Informação;  •Interesse pela Comunidade.   Por meio desses princípios, aborda-se a parceria que a SICREDI desenvolve desde o ano de 2007 com a CoperAmetista – C ...

Leia Mais
Programa Leite MAIS (03 A)

Programa Leite MAIS (03 A)

O Programa Leite MAIS visa o aumento da produtividade, qualidade e rentabilidade da atividade leiteira, através da prestação de orientação técnica personalizada aos produtores assistidos, mediante a utilização de um modelo de assistência que foi form ...

Leia Mais
Homeopatia na Agropecuária no Oeste do Paraná  (17 A)

Homeopatia na Agropecuária no Oeste do Paraná (17 A)

 O trabalho com homeopatia na agropecuária na Região Oeste do Paraná iniciou-se no ano de 2004 e objetiva viabilizar a produção sem ou com menor uso de agroquímicos, a redução dos custos de produção e proporcionar maior autonomia e renda aos agricult ...

Leia Mais
Uso da Rede Social na Assistência Técnica e Extensão Rural (05 A)

Uso da Rede Social na Assistência Técnica e Extensão Rural (05 A)

Objetivando dinamizar o processo de comunicação junto aos produtores de soja na região de Londrina, no ano de 2015 a EMATER-PR implementou o uso de rede social na assistência técnica e extensão rural. De posse das informações recebidas sobre a ocorrê ...

Leia Mais
Piscicultura e a Promoção do Desenvolvimento Regional: Maripá um Modelo de Competência e Organização Produtiva (27 A)

Piscicultura e a Promoção do Desenvolvimento Regional: Maripá um Modelo de Competência e Organização Produtiva (27 A)

A piscicultura é um setor importante para o desenvolvimento regional do oeste do Paraná. Sob uma perspectiva econômica a atividade é uma alternativa para a renda de agricultores que possuem pequenas propriedades. Ciente das dificuldades da região, a ...

Leia Mais
Sistema de Plantio Direto de Hortaliças: Uma Ferramenta de Transição para uma Agricultura Familiar Sustentável (26 A)

Sistema de Plantio Direto de Hortaliças: Uma Ferramenta de Transição para uma Agricultura Familiar Sustentável (26 A)

O Sistema de Plantio Direto de Hortaliças (SPDH) é uma proposta de transição para toda a agricultura familiar, dependente de insumos externos à propriedade, para sistemas mais limpos, equilibrados e autônomos. Em seu eixo técnico-cientifico tem como ...

Leia Mais
Projeto Grãos - Centro Sul de Feijão e Milho (18 A)

Projeto Grãos - Centro Sul de Feijão e Milho (18 A)

Os cultivos do feijão e do milho são tradicionais na agricultura familiar da região Centro-Sul do Paraná, contribuindo na formação da renda nas propriedades através da venda dos grãos e na transformação em carne, leite e derivados. O Projeto Grãos - ...

Leia Mais
Construção de Redes de Referências Técnicas e Econômicas para o Desenvolvimento Sustentável da Agricultura Familiar (10 A)

Construção de Redes de Referências Técnicas e Econômicas para o Desenvolvimento Sustentável da Agricultura Familiar (10 A)

Criadas com o objetivo de apoiar o desenvolvimento de sistemas de produção sustentáveis para a agricultura familiar paranaense, as Redes de Referências para a Agricultura Familiar baseiam suas ações em um conjunto de propriedades representativas de d ...

Leia Mais
Desenvolvimento Rural Sustentável (DRS) (15 A)

Desenvolvimento Rural Sustentável (DRS) (15 A)

O Programa Desenvolvimento Rural Sustentável (DRS) busca apoiar e fortalecer os segmentos mais vulneráveis da população rural, na região da Bacia do Rio Paraná lll, incentivando a produção agropecuária sustentável. Desenvolve ações de assistência téc ...

Leia Mais
Produção Integrada de Cebola para o Estado de Santa Catarina - PIC (13 A)

Produção Integrada de Cebola para o Estado de Santa Catarina - PIC (13 A)

O projeto de Produção Integrada de Cebola - PIC tem por objetivo o desenvolvimento de pesquisas e ações de extensão rural que orientem os produtores para o uso das Boas Práticas Agrícolas e adoção da produção integrada na cultura da cebola, atividade ...

Leia Mais
Sistema de Produção Integrada do Tomate Tutorado (SISPIT) (09 A)

Sistema de Produção Integrada do Tomate Tutorado (SISPIT) (09 A)

Dentro da missão da EPAGRI, que é levar “Conhecimento, tecnologia e extensão para o desenvolvimento sustentável do meio rural, em benefício da sociedade” a Estação Experimental de Caçador desenvolveu um sistema inovador de produção de tomate que trou ...

Leia Mais
Projeto Plantas Medicinais (16 A)

Projeto Plantas Medicinais (16 A)

Uma das estratégias do Programa Cultivando Água Boa é a utilização de plantas medicinais na atenção à saúde e na manutenção da biodiversidade vegetal e cultural da Região Oeste do Paraná. Com isso, em 2003, foi criado o projeto Plantas Medicinais, qu ...

Leia Mais
Programa Sistema de Plantio Direto com Qualidade (11 A)

Programa Sistema de Plantio Direto com Qualidade (11 A)

O Programa de Plantio Direto com Qualidade foi uma estratégia de ação, que teve origem na metade da década de 1990, quando a Itaipu  Binacional, motivada pela permanente preocupação com o assoreamento de seu reservatório, iniciou contatos com o Insti ...

Leia Mais
Programa Propriedade Sustentável (20 A)

Programa Propriedade Sustentável (20 A)

Buscando fortalecer os ideais cooperativos e amparada por sua missão de como sistema cooperativo, valorizar o relacionamento, oferecer soluções financeiras para agregar renda e contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos associados e da socie ...

Leia Mais
Diversificação Produtiva Local Através do Desenvolvimento da Cultura da Banana (06 A)

Diversificação Produtiva Local Através do Desenvolvimento da Cultura da Banana (06 A)

A partir dos desafios surgidos com o declínio de culturas regionais tradicionais, este projeto possibilitou aos agricultores familiares do Município de Novo Itacolomi, Estado do Paraná, a diversificação produtiva através da introdução da cultura da b ...

Leia Mais
Projeto Agroflorestar, co-operando com a Natureza  (22 A)

Projeto Agroflorestar, co-operando com a Natureza (22 A)

O Projeto “Agroflorestar, co-operando com a Natureza” busca resgatar saberes, produzir conhecimento e irradiar práticas e valores para a transformação da agricultura, por meio da agrofloresta agroecológica.    {gallery}cooperafloresta{/gallery} De ...

Leia Mais
Sistema de Cobertura Telada Antigranizo e Controle de Geadas (24 A)

Sistema de Cobertura Telada Antigranizo e Controle de Geadas (24 A)

A prática tem como objetivo prevenir eventuais danos ocasionados por granizos e geadas tardias na frutificação e consequente produção dos pomares. Para o desenvolvimento, controle e avaliação foi escolhido realizar a implantação do sistema em uma pro ...

Leia Mais
Conselhos Municipais de Sanidade Agropecuária: Criação e Fortalecimento (01 A)

Conselhos Municipais de Sanidade Agropecuária: Criação e Fortalecimento (01 A)

O projeto promove a participação da comunidade no sistema de defesa sanitária, através da estruturação dos Conselhos Municipais de Sanidade Agropecuária (CSA) em 91% dos municípios do Estado do Paraná. As ações do serviço oficial de defesa foram pote ...

Leia Mais
Propriedades Demonstrativas de Leite a Pasto (12 A)

Propriedades Demonstrativas de Leite a Pasto (12 A)

A implantação de Unidades Demonstrativas de Leite a Pasto, implementada pelo Instituto EMATER-PR na região de Medianeira, possibilita o incremento da produtividade de leite na pequena propriedade através da adoção de técnicas que incentivam o desenvo ...

Leia Mais
Sistematização, Promoção e Difusão das Tecnologias Alinhadas à Produção Integrada da Banana no Estado de Santa Catarina (PI - BANANA) (25 A)

Sistematização, Promoção e Difusão das Tecnologias Alinhadas à Produção Integrada da Banana no Estado de Santa Catarina (PI - BANANA) (25 A)

Santa Catarina é um importante Estado produtor de bananas, sua produção está concentrada em propriedades familiares, localizadas em encostas e com grande interação com o ecossistema da Mata Atlântica. Em termos institucionais, é característico dos pr ...

Leia Mais
  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. 4
  5. 5
  6. 6
  7. 7
  8. 8
  9. 9
  10. 10